Page 7 - Observa Magazine Novembro
P. 7

ASSOCIADOS aild


        A vontade supera


        quase tudo






        No  passado  dia  20  de  Outubro,  de-  que o elemento chave foi ter conheci-
        pois  de adiamentos sucessivos,  con-  do alguém, um produto ou serviço que
        seguimos  realizar  com  a  possibilidade   estava a ser apresentado paralelamen-   Liliana Silva
        de participação física, o evento com o   te ao evento, o tempo revela a cada um
        tema “Pare de Dizer Diáspora”, graças   o verdadeiro impacto de um evento.  Liliana  Silva,  42  anos,  tem  três  filhas,
        ao contributo de membros e não mem-  O mês de Novembro é um mês que fo-  vive em Vila Praia de Âncora e dedica a
                                                                                 sua vida às filhas, à profissão, às causas
        bros, e sobretudo, graças ao apoio dos   menta a ligação das Comunidades Por-  sociais,  ao  associativismo  e  ainda  tem
        vários parceiros e à boa vontade de to-  tuguesas  no  Estrangeiro  ao  seu  País.   participação  política  ativa.  Licenciada
        dos os participantes.              Existe ainda a tradição nessas comuni-  pela Universidade do Minho, já lecionou,
        Este evento é encarado por nós como   dades de trazer os seus entes queridos   coordenou cursos profissionais e esteve
                                                                                 como coordenadora da Rede Local de
        um sucesso, não só pela qualidade das   para o repouso eterno em Portugal.   Intervenção  Social  de  Caminha.  Há  três
        intervenções e participantes que teve,   Durante  este  mês que temos presen-  anos que exerce as suas funções profis-
        mas também,  por  termos conseguido   te, de uma forma mais intensa os nos-  sionais num escritório de contabilidade
                                                                                 onde tem sociedade. É uma pessoa feliz
        assegurar a sua transmissão em strea-  sos  entes queridos  que já repousam   por natureza, empreendedora e defenso-
        ming através de um dos parceiros me-  em  paz,  muitos  têm  a  possibilidade   ra de causas. Solidariedade, honestidade
        dia, o LusoJornal.                 de viajar para manter  viva a sua  me-  e  responsabilidade,  são  os  valores  que
        Temos a tendência de medir o sucesso   mória, enquanto outros  apenas em   norteiam a sua vida. As suas filhas são a
                                                                                 sua maior alegria e orgulho.
        de alguma coisa pelos  números gran-  pensamento vivem  esses  momentos.
        des,  pela  quantidade  de  participantes   Saibamos manter vivas estas tradições,
        e até pelo número de seguidores, mas   embora este ano, por imposição legal,
        será esse o único critério válido?  será diferente, pois, não será possível
        A pandemia faz-nos refletir um pouco   a deslocação entre municípios  no pe-
        mais sobre isso, porque qualquer even-  ríodo  dedicado  aos  finados,  devido  a
        to fica desde logo à partida restringido   medidas de controlo da pandemia Co-
        pelo  seu  número  de  participantes,  e   vid-19, face aos números elevados de
        embora  existam  formas  de  propagar   contágios diários a verificar-se.
        a  participação  no  evento  pelos  meios   Não será a reflexão sobre a morte, que
        digitais, a verdade é  que nunca será   nos faz sentir mais vivos e ter consciên-
        igualada  e  superada  à  oportunidade   cia que o tempo urge, e que devemos        Marco Neves
        de  participar  num  evento,  com  todos   aproveitar melhor o nosso tempo com   Marco Neves nasceu em Peniche e vive
        os sentidos ativos e com todas as pos-  que  ainda  vive  entre  nós?  Pensemos   em Lisboa. É diretor do escritório de Lis-
        sibilidades de interação abertas. Desde   nisso!                         boa da empresa de tradução Eurologos.
        logo, o nível de interação com os orado-                                 É  professor  na  Universidade  Nova  de
                                                                                 Lisboa e autor de 11 livros sobre a língua
        res e participantes fica restringido, por                                portuguesa.  Mantém  a  Certas  Palavras,
        outro  lado,  ficamos  limitados  às  ima-                               onde publica vários artigos sobre o portu-
        gens e sons que foram definidas para a                                   guês e as outras línguas do mundo. Des-
                                                                                 de 2002, na sua atividade como tradutor
        transmissão, e perdemos a oportunida-                                    e  diretor  de  uma  empresa  de  tradução,
        de de rever ou conhecer alguém.                                          colaborou com muitos lusodescendentes
        Quem já não teve a experiência de ter                                    e empresas de vários pontos do mundo
        participado num evento mediano, em       Philippe Fernandes              em vários projetos de tradução e comu-
                                                                                 nicação em várias línguas. Consegue ain-
                                               Presidente da Associação Internacional   da arranjar algum tempo para dedicar ao
                                                    de Lusodescendentes          movimento  associativo,  nomeadamente,
                                                   philippefernandes@aild.pt     no Conselho Científico da AILD.




                                                                                     OBSERVA - MAGAZINE   |   PAG  7
   2   3   4   5   6   7   8   9   10   11   12