Page 5 - Observa Magazine Novembro
P. 5

EDITORIAL







             Na nossa capa temos pintada uma lenda que preenche   uma corrida desenfreada à fixação de residência de ci-
             tanto o universo infantil, como o mundo dos adultos.   dadãos no Reino Unido em Portugal, que se estenderá
             A AILD, Associação Internacional dos Lusodescenden-  até ao fim de dezembro. «Existe ainda muita incerte-
             tes dá-nos conta do seu colóquio com o tema «Pare de   za sobre como se irá processar a fixação de residência
             dizer Diáspora», no qual se reflectiu sobre a pertinên-  destes cidadãos em países da União Europeia no futu-
             cia desse termo, que tem vindo a designar a comuni-  ro...». Flávio Alves Martins Presidente do Conselho das
             dade portuguesa disseminada pelo mundo. O colóquio   Comunidades Portuguesas apresenta-nos uma refle-
             terminou com uma intervenção  por  vídeo  do  Senhor   xão imperdível sobre os 40 anos do Conselho das Co-
             Ministro da Educação, Tiago Brandão Rodrigues, que   munidades Portuguesas, com o foco nos actuais efeitos
             congratulou todos os presentes pelo colóquio e lem-  da pandemia nas Comunidades Portuguesas e conse-
             brou como todos fazem parte da mesma comunidade,   quente agravamento das  situações de vulnerabilidade
             em Portugal e noutros países.                    e enfraquecimento brutal no Movimento Associativo.
             De Regresso a Portugal, apresentamos-lhe a história   Em Portugal pelo Mundo, apresentamos-lhe Jorge
             de mais um lusodescendente, Carlos Belistra, brasilei-  Mendes Constante, um grande «embaixador» de Por-
             ro, residente em Trás-os-Montes, que deseja investir   tugal  em  França.    Advogado  a  residir  e  trabalhar  em
             em Portugal e valoriza coisas simples como sentar à   Marselha, este lusodescendente é representante da
             beira do rio a ver a vida passar bem devagar, as vindi-  Câmara de Comércio e Indústria franco-portuguesa na
             mas, as azeitonas e as castanhas. Explica-nos: «o mais   região PACA.
             importante de tudo é o “convívio” com toda a gente,   Desta vez também temos música. Saiba de que modo
             isso não tem preço, mas um enorme valor».        a sonoridade da língua portuguesa falada no Brasil in-
             Na Grande Entrevista damos-lhe a oportunidade de   fluenciou  a  musicalidade  das  canções.  Canções  como
             conhecer melhor o mais polémico parlamentar da nos-  a  “Garota  de  Ipanema”,  de  Tom  Jobim  e  Vinícius  de
             sa Assembleia da República, o deputado e Presidente   Moraes eternizaram a música brasileira como uma das
             da Direção Nacional do partido CHEGA, André Ventu-  mais reconhecidas em todo o mundo. Do outro lado do
             ra. Aqui, registo um dos seus reparos: «... em vez de me   oceano também lhe trazemos literatura e poesia.
             perguntar por que motivo continua a direita a permitir   É nesta língua linda - que é a nossa - que continuamos
             que a esquerda se arrogue disto ou daquilo, o que de-  a espalhar cultura e informação por este mundo fora,
             veria perguntar era porque motivo considera sempre a   repleto de portugueses e lusodescendentes, de Alma
             esquerda que é dona da verdade, da moral e dos bons   Lusa, que não se mede pelo sangue luso, nem se plasma
             costumes».                                       numa folha de excel.
             Gilda Pereira, na sua habitual rubrica Migrações refle-  Caminhe connosco nesta aventura que é dar a conhecer
             te sobre o Brexit, dado que apenas nos resta um mês   a OBSERVA Magazine, este projecto embaixador, único
             para se ver concluído o acordo de transição e se verifica    e vanguardista.





 SEDE EDITOR/REDAÇÃO







                                                 Madalena Pires de Lima
                                                       Diretora Adjunta
                                                   diretora@observamagazine.pt






             A autora não aderiu ao novo acordo ortográfico                          OBSERVA - MAGAZINE   |   PAG  5
   1   2   3   4   5   6   7   8   9   10