Page 7 - Observa Magazine Julho
P. 7

ASSOCIADOS aild
















        10 Junho                                                                           Melissa Simas



                                                                                 Com um grande amor pelas suas raízes,
        Por experiência própria, tenho a con-  EUA e no Canadá, nesta data.      Melissa Simas, é uma jovem ativa na Co-
        vicção  de que  esta data é vivida  de   A AILD, procura facilitar e potenciar a li-  munidade Portuguesa de Ontário – Ca-
        forma  mais  intensa  e  emotiva  pelos   gação dos lusodescentes e das suas as-  nadá, desde a sua infância. Atualmente, é
        nossos  emigrantes,  lusodescendentes   sociações a Portugal, por isso não é de   a Vice-Presidente do Conselho Fiscal da
                                                                                 Casa dos Açores do Ontário. É também
        e expatriados fora de Portugal, do que,   estranhar que a maioria dos membros   Membro da Direção da Federação dos
        por aqueles que nunca se afastaram de   fundadores  sejam  lusodescendentes,   Empresários  e  Profissionais  Luso-Cana-
        Portugal.                          com  mais  de 11 anos  de experiência   dianos (FPCBP). A Federação com a ajuda
                                                                                 de patrocinadores, entrega aproxima-
        Não ponho em causa o amor destes úl-  pessoal, profissional e associativa com   damente 30 a 40 bolsas de estudo por
        timos por Portugal e pela cultura por-  a comunidade de lusodescendentes no   ano a estudantes Luso- Canadianos. Em
        tuguesa, mas não há dúvida, de que a   estrangeiro e em Portugal.        2015,  participou  no  Curso  Mundial  de
                                                                                 Formação de Dirigentes Associativos da
        distância e  a ausência, produzem  um   Não  posso deixar  de referir,  que ini-  Diáspora em Portugal. Melissa tem muito
        efeito catalisador, que intensifica a ne-  ciei  a  minha  experiência  associativa   orgulho em ser Luso-Canadiana e de ser
        cessidade da ligação a Portugal e de se   ainda  bem pequeno,  pelas mãos dos   filha de pais Portugueses - Açorianos.
        afirmar português.                 meus  pais  em  França.  Estive  sempre
        Um  amigo universitário  da zona da   envolvido,  por  iniciativa  própria,  em
        Foz do Douro, que nunca tinha vivido   atividades associativas, desde o ensino
        fora  de  Portugal,  participou  no  Con-  secundário, que frequentei em  Viseu,
        go, durante um ano, na criação de um   passando por várias outras associações
        hospital  financiado  pela  Comunidade   e tendo agora a satisfação de participar
        Europeia. No seu regresso partilhou a   na AILD, num projeto inclusivo aberto
        experiência de estar ausente de Portu-  a todos, independentemente de ser-se
        gal, falando  sobre  a necessidade que   lusodescendente, em que todos parti-
        sentiu de manter a ligação a Portugal,   lham o mesmo fascínio pela condição
        através das rádios e revistas portugue-  de ser português.
        sas, passando inclusive a gostar de mú-  Viva o Dia de Portugal!            José António Coimbra de Matos
        sicas portuguesas, que nunca até então   Viva a maneira de ser português!  Nasceu em Nandufe-Tondela. Formado
        tinha  sonhado  sequer  ouvi-las,  e  isto   Viva a língua Portuguesa!   em Comunicação e Gestão, desde muito
        somente pelo facto de ser português.                                     jovem, o seu mundo é o associativismo
        Não há dúvida de que este afastamen-                                     social. Em Portugal foi fundador de asso-
                                                                                 ciações de jovens, fez teatro, e foi corres-
        to lhe permitiu ter ainda mais orgulho                                   pondente de jornais locais. No Luxembur-
        em ser português e na herança de ser                                     go trabalha na área social, funda a FAJLD,
        português.                                                               faz parte dos corpos dirigentes da Con-
                                                                                 federação da Comunidade Portuguesa
        As associações portuguesas espalhadas                                    do Luxemburgo, onde chega a Presidente
        pelo  mundo  facilitam e muito  contri-                                  em 1995 e é reconduzido até 2016. Foi
        buem, para que o vínculo com Portu-                                      animador de rádio durante mais de 30
                                                                                 anos, produziu o primeiro programa de
        gal seja mantido. Muitas das suas ati-   Philippe Fernandes              televisão, realizado e apresentado por jo-
        vidades acabam por se tornar públicas   Presidente da Associação Internacional   vens portugueses. Em 2014, foi agracia-
                                                    de Lusodescendentes
        nos festejos do Dia de Portugal, que se    philippefernandes@aild.pt     do com a Ordem do Infante D. Henrique.
        organizam um pouco por todo o mun-
        do, como por exemplo as paradas por-
        tuguesa e americana que se fazem nos                                         OBSERVA - MAGAZINE   |   PAG  7
   2   3   4   5   6   7   8   9   10   11   12